Veja como foi o Desafio Asics Volta à Ilha 2013

Após mais de 10 horas de corrida, em uma exaustiva prova de 140km, a Equipe Cabeça venceu o Desafio ASICS 2013.

Após mais de 10 horas de corrida, em uma exaustiva prova de 140km, a Equipe Cabeça venceu o Desafio ASICS, que aconteceu dentro da Volta à Ilha ASICS 2013.

A disputa foi realizada dentro da maior e mais importante prova de revezamento da América do Sul. O time formado por grandes corredores de trilha e montanha, com idade entre 31 e 47 anos mostrou que a experiência fala mais alto quando o assunto é limite do corpo x cabeça. Nesta edição, a Volta à Ilha ASICS recebeu não só o Desafio, como mais de 3.600 participantes distribuídos em 390 times de corredores de todos estados do país.

Foto: Divulgação ASICS

“A história deste desafio foi muito legal. Criamos dois times, com aproximadamente 100 anos de diferença, só com feras. Um formado por atletas entre 20 e 25 anos – equipe Corpo – e outro composto por corredores muito experientes com idade de 31 a 47 anos – equipe Cabeça, e deixamos que eles inventassem a melhor maneira de completar o difícil percurso. Também testamos no pé dos melhores do Brasil nossa nova linha de trilha e asfalto. Patrocinamos a Volta à Ilha ASICS há seis anos, é um evento muito importante para a nós, de alto desempenho como a ASICS”, explicou Andrea Longhi, Gerente Sênior de Marketing da marca que também já correu a prova diversas vezes.

O revezamento contornou a ilha de Florianópolis, dividida em 18 trechos, em terrenos com diferentes aspectos, como areia fofa, terra batida, pedras, subidas e asfalto. A largada aconteceu às 5h45 na Beira Mar Norte, com o céu ainda escuro. O dia começou bem para os novatos, da Corpo, que largaram na frente. O time seguiu forte nos primeiros trechos, mas foi ultrapassado pelo time Cabeça entre os  postos 4 e 5.

Foto: Divulgação ASICS

A partir daí os mais experientes seguiram na ponta e abriram uma vantagem de quase 20 minutos em relação ao time corpo. Mas com uma pouco mais da metade do percurso percorrido a equipe Cabeça teve um problema inesperado. A atleta que faria o trecho 16 não chegou a tempo para render seu colega que estava na prova. José Caputo esperou por de mais de 15 minutos, no posto de troca, até ser substituído por outra colega do grupo.

“Segui com o motoqueiro até o ponto de troca para render o Caputo, mas não conseguimos achar o posto 15. Liguei para equipe e expliquei que estávamos perdidos. Eles conseguiram levar a atleta Viviane Baggio para me substituir, e correr o trecho da Praia dos Açores. Fiquei muito triste, mas no final deu tudo certo” explicou Cilene Sophya.

Foto: Divulgação ASICS

Mesmo com problemas ao longo do percurso o time Cabeça levou a melhor no Desafio e terminou a Volta 31 minutos antes do time jovem, com um tempo total de 10h39m. O campeão mundial de triathlon, Alexandre Manzan, que disputou os trechos mais difíceis pela equipe Cabeça, falou sobre o prazer de participar do Desafio ASICS.

“A história do Desafio ASICS foi muito legal. Normalmente quem é novo está cheio de gás, mas não tem a cabeça tão equilibrada. Quem tem mais idade pode passar por momentos em que corpo não quer seguir, mas a cabeça pode te levar. Com esse desafio vimos que a mente tem grande influência. Quando um deles nasceu eu já praticava triathlon (risos). Foi muito gratificante participar desta prova e saber que a galera nova curtiu tanto”, comentou Manzan.

Foto: Divulgação ASICS

Os competidores do time Corpo, mesmo sem a vitória, mostraram muita garra e completaram a prova em 11h10m. Eles aprovaram a experiência e garantiram que estão prontos para o próximo Desafio ASICS.

“Sabia que ia ser muito difícil, que os atletas eram muito fortes. Nosso objetivo era vencer. Quando soubemos que não dava para virar não desanimamos. Demos 100%. Na hora do erro deles ficamos com esperança, mas não foi suficiente. Valeu a pena. Daqui a uns quinze anos estaremos como eles (risos)”, falou Diego Ferrari, representante da equipe Corpo.

Deixe um comentário