Lima

Confira no Correr pelo Mundo nossas dicas de viagem de Lima, a capital do Peru.

Quem vai a Lima, capital do Peru, volta com muito mais do que a bagagem cultural de visitar uma cidade que tem tanto a oferecer. Pode parecer piegas, mas volta-se com o carinho do povo peruano na memória. Os peruanos são simpáticos e atenciosos por natureza, o que dá ao turista aquela sensação de ser sempre acolhido e bem-vindo.

Lima é uma cidade imperdível. De grande extensão e congestionamentos intermináveis, reserve um bom tempo para deslocar-se de um bairro para outro. Falando em bairros, vamos começar com Miraflores, que é a base de 90% dos turistas que visitam a capital peruana. Muitos visitantes escolhem esta área por ser a mais bela, é próxima ao Pacífico e é muito segura. Tão segura que é possível caminhar pelas ruas do bairro à noite, sem preocupações, seja para ir a um bar, restaurante, ou simplesmente ver o movimento. Famílias inteiras e turistas confraternizam no Parque Central de Miraflores, com sua agitada feira de artesanato noturna (das 18h às 22h) e com seus jardins impecáveis. Aliás, essa é uma outra excelente impressão que temos de Miraflores: todos os jardins de parques e praças são cuidadosamente preservados. Para quem gosta de apostas, Lima também é o lugar certo: muitos cassinos estão na região.

Casal namora na Praça Central de Miraflores: jardim impecável (crédito: Correr pelo Mundo)

Igreja em Miraflores à noite (crédito: Correr pelo Mundo)

O bairro de Miraflores foi feito para caminhar: siga pela Avenida Larco, em direção ao Oceano Pacífico, e você encontrará um dos maiores centros de lazer de Lima, o Shopping Larcomar. Não se engane pelo nome. Apesar de diversas lojas, o espaço está em grande parte a céu aberto, e conta com restaurantes e bares charmosissímos com vista para o Oceano Pacífico, além de mirantes que são a parada certa para fotos.

Shopping Larcomar ao anoitecer (crédito: Website Shopping Larcomar)

Vista do mirante do Shopping Larcomar: nada mal (crédito: Correr pelo Mundo)

No Larcomar há muitas lojas de artesanatos, porém, são caríssimas. Deixe para comprar suas lembrancinhas de viagem na rua Petit Thouars, também em Miraflores. Esta rua é o templo dos apaixonados por artesanato. É possível ficar horas e horas vendo a imensa variedade de peças decorativas, roupas, telas e souvenirs por preços irrisórios. Além disso, é um bom pretexto para conversar com os simpáticos peruanos e ouvir suas declarações de amor pelo Brasil. Lembre-se de pechinchar! É bem provável que você tenha que providenciar uma bagagem extra.

O irresistível artesanato em Lima (crédito: Correr pelo Mundo)

Algumas lojas aceitam cartão de crédito; porém, para conseguir descontos, pague em dinheiro (crédito: Correr pelo Mundo)

Para os apaixonados (ou solitários), uma visita ao Parque do Amor, próximo ao Larcomar, também é uma boa pedida para ver o por do sol. Bancos feitos com pedaços de azulejo (ao estilo Park Guell, de Barcelona), dão o charme a este parque.

Próximo a Miraflores está o bairro de Barranco, mais tranqüilo, e uma espécie de bairro boêmio da cidade. Ali também se encontram muitas opções de restaurantes e hotéis.

Um ponto imperdível da capital é o Parque de la Reserva e seu inesquecível show de águas. São diversas fontes que “dançam” conforme a música, acompanhados de muita luz e cores. As águas da maior fonte do parque, chamada de Fuente Mágica, atingem uma altura de mais de 80m. O mais impressionante é o túnel formado por fontes. Vale a pena conferir. O parque, que tem 8 hectares, abre diariamente, das 16h às 22h e fica próximo ao Estádio Nacional. O valor da entrada é bem acessível.

Show das Águas no Parque de la Reserva (crédito: Martín Garcia)

Porém, uma das principais atrações de Lima está em seu centro histórico. Reserve ao menos uma tarde para caminhar pela região, repleta de construções de estilo colonial. Foi na região da Plaza Mayor que Lima foi fundada, em 1535, e hoje é considerada Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO. O imponente Palácio do Governo foi residência de Francisco Pizarro, o fundador da cidade. Se tiver tempo, confira a troca da guarda em frente ao Palácio diariamente, às 11h45. Atrás do Palácio, cruza o Rio Rímac a Ponte de Pedra, construída no século 17. Diferente de Miraflores, tenha cuidado com seus pertences no centro de Lima, e evite caminhar nesta região à noite.

Palácio do Governo - Crédito: Maurice Chédel

Palácio do Governo: o Centro Histórico de Lima é imperdível (crédito: Maurice Chédel)

A chegada é, digamos, um pouco diferente. O aeroporto internacional, Jorge Chávez, é novo e amplo. Depois que sair da área de desembarque, muitas empresas de táxi estarão com placas oferecendo seu serviço. O valor do táxi é tabelado para os bairros. Verifique o valor e siga até a área de táxis. Uma corrida do aeroporto até o bairro de Miraflores custava em 2009 cerca de USD15,00, com direito a fortes emoções, coisas que só o trânsito de Lima pode lhe proporcionar. Ônibus coloridos e lotados fazem parte da paisagem da cidade, além de motoristas que desafiam, a todo instante, as leis da física, o que, também, faz parte do passeio… No trajeto, que leva no mínimo 40 minutos, você terá oportunidade de ver uma Lima que cresceu desorganizadamente, com grandes diferenças sociais e que, com todas as suas dificuldades, mostra-se uma das capitais mais simpáticas da América do Sul, que nos deixa sempre com vontade de voltar.

Típico ônibus de Lima - Crédito: Wikimedia

Típico ônibus de Lima (crédito: Wikimedia)

Cuzco acaba sendo destino obrigatório de quem vai para o Peru. A cidade é, realmente, imperdível, independente se você aprecia o turismo de aventura, turismo com conforto, ou simplesmente gosta de conhecer lugares pelo mundo, com aquele orçamento pronto. Mas as dicas de Cuzco ficam para outro artigo…

Para ajudar a planejar sua viagem, consulte também o site oficial de turismo do governo do Peru. http://www.peru.info/

Crédito fotos:

Plaza Mayor: Stuardo Herrera

 

1 thought on “Lima

Deixe um comentário